Categorias

Abraão (4) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (2) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (10) Artesanato criativo (5) As maravilhas de Deus (1) Atividades (8) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (8) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (2) Campanha da Fraternidade 2017 (2) Cantinho da Oração (1) Catavento (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequista não é tio (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (5) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (60) Dinâmicas de Oração (6) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (4) Eucaristia (10) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinha da Páscoa (6) Lembrancinha para as mães (4) Lembrancinhas (5) Mandamentos (2) Maquete (1) Matrimônio (1) Meio Ambiente (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (13) Parábola do semeador (2) Páscoa (6) Pecado (2) Pentecostes (1) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (4) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (3) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (1)

30 setembro, 2016

Catequese criativa: Sopa de pedra- Fábula na catequese


We weart it

No livro Catequese Criativa (Neusa Fernades, Paulinas, Pág.89/90), tem uma parte dedicada a fábulas e parábolas aplicadas na catequese.

Por que usar fábulas na catequese?

"É importante lembrarmos que a Bíblia narra os fatos da vida do povo com Deus e de Deus com o seu povo. Portanto, existem muitas histórias que podem ilustrar os fatos da vida fazendo paralelo com os que o povo da Bíblia viveu. Mesmo porque, em se tratando de catequese, não devemos pensar que o conteúdo seja transmitido e partilhado seja somente as doutrinas da Igreja. Mas também os valores humanos que ajudam as pessoas a serem imagem e semelhança de Deus." (pag.86)

A autora aposta nas histórias para dinamizar os encontros de catequese. E recomenda que apresentemos  a fábula de forma criativa.  Devemos ainda prestar atenção em algumas questões: Quais os valores apresentados na história? Quais os textos bíblicos podem fundamentar  esses valores?

Escolhi uma em especial para aplicarmos no encontro sobre Eucaristia. Acredito que pode ser adaptada para qualquer etapa.

Vamos lá então?

***



Fábula: Sopa de Pedra

(Autoria: Tradição oral indiana. Existem versões diferentes)

Um estrangeiro, que se dirigia a uma pequena vila, parou diante de uma pobre cabana e pediu à senhora que estava sentada à porta qualquer coisa para comer.
-Sinto muito, senhor, mas não tenho nada.
-Não se preocupe- disse o estrangeiro.- Eu tenho na sacola uma pedra para sopa. Se você deixar que eu coloque uma panela de água fervendo, eu preparo a mais deliciosa sopa do mundo. Preciso apenas de uma panela grande, por favor.

A senhora estava curiosa. Deu-lhe a penela e foi confiar o segredo da pedra para sopa a uma vizinha.
Quando a água começou a ferver, estavam ali todos os vizinhos para ver o estrangeiro e sua pedra.
Ele colocou a pedra na água e, depois, disse com simplicidade:
-Que delícia! Falta só um pouco de batata.
-Eu tenho batatas na cozinha- disse uma vizinha.

Poucos minutos depois estava de volta com uma grande quantidade de batatas cortadas em pedaços, que foram colocados na panela.

O estrangeiro experimentou novamente:
-Excelente... Se houvesse um pouco de carne e um pouco de verdura, teria um sabor refinado.

Outra mulher correu até sua casa para pegar um pouco de carne e outra foi buscar cebolas.

Depois de colocar tudo na panela, o estrangeiro experimentou o caldo e disse:

-Falta um pouco de sal.

-Ei-lo- Disse a dona de casa.

-Tigela para todos"- Falou o estrangeiro.

As pessoas correram para pegar pratos e tigelas, e algumas trouxeram frutas e mandioca. Todos se sentaram em torno do estrangeiro, que distribuía a sopa em abundância.

Todos sentiram uma estranha felicidade: riam, falavam, comiam juntos.
O estrangeiro, depois de permanecer um pouco com eles, desapareceu silenciosamente, em meio à alegria geral.
Deixou, porém a padra milagrosa para que pudessem usá-la todas as vezes que quisessem preparar a melhor sopa do mundo,

Texto

Jo 6, 1-15- A partilha dos pães
Mt 5,13- Sal da terra


Objetivo

Trabalhar a dimensão da partilha.

Reflexão

Jesus propõe a missão da sua comunidade: ser sinal do amor generoso de Deus, assegurando para todos a possibilidade de subsistência não está no muito que poucos possuem e retêm para si, mas no pouco de cada um que é repartido entre todos. A garantia de dignidade não se encontra no poder de um líder que manda, mas no serviço de cada um que organiza a comunidade pra o bem de todos. (Comentário, Bíblia Pastoral, p. 1361)

O estrangeiro deixou a pedra para que a comunidade pudesse se lembrar da experiência.
Nós temos Jesus Eucarístico, ao redor do qual devemo nos unir e partilharmos o que temos (um quilo de amor, de carinho, de amizade, de perdão, de misericórdia, de solidariedade...).
Estes dons todos temos e devemos ser capazes de partilhá-los para o bem comum e alegria de toda a comunidade que é chamada a testemunhar o Reino de Deus.
A celebração Eucarística é o lugar privilegiado do encontro da comunidade. É o momento de colocar em comum a realidade de cada pessoa e, na escuta da Palavra, encontrar pistas de ação (como o estrangeiro com a sopa da pedra), para que a comunidade possa caminhar e se alegrar.

Desenvolvimento

Algumas questões podem ser levantadas aos catequizandos:
Com qual personagem você se identifica/ Por quê?
O que acha mais difícil em se tratando de partilha?
Como você vê a dimensão da partilha em sua família, escola, comunidade e na sociedade?



***

Obrigada. Deus ama você!
Cris Menezes

29 setembro, 2016

4 Brincadeiras para o dia das crianças





Vamos  planejar um encontro na catequese super animado e com muitas brincadeiras para celebrar o dia das crianças? E melhor ainda, com brincadeiras que vão falar ao coração de cada catequizando. Selecionei algumas brincadeiras que dá para fazermos em ginganas. Para fazer apenas com sua turma de catequese, considere aplicar as dicas do tópico "Toques criativos".

Sugestões do livro Jogos e brincadeiras( Rogério Bellini, Ed. Paulus)

1. Cabo da paz

Objetivo: Despertar o "Espírito de equipe" e a "cooperação" entre os catequizandos. Momentos de integração e confraternização são vivenciados após a aplicação do jogo.

Material: duas cordas de mesmo tamanho, um saco plástico (não transparente), bombons, balas ou qualquer outra prenda em igual número ao de participantes.

Número de participantes: 20
Tempo estimado: 15 minutos
Para ler e refletir: João 20, 19-20
Toques criativos: Se desejar, pode escrever o nome de cada catequizando na prenda-surpresa e propor um amigo secreto de oração após o jogo.

Desenvolvimento
-Dividir o grupo de catequizandos em duas equipes.
-Fazer um círculo de aproximadamente 60 centímetros de diâmetro. O catequista deverá ficar no centro do círculo, com uma equipe à sua direita e outra à esquerda.
-Dizer aos integrantes das equipes que você tem um saco preso a duas cordas com uma surpresa para todos. Cada equipe deve puxar a corda até o saco arrebentar e soltar a surpresa dentro do círculo. Se a surpresa cair fora do círculo, todo o conteúdo do saco será do catequista.
-Cabe aos catequizandos rasgar o saco plástico juntos, mantendo o conteúdo dentro do círculo.


2. Frutos do Espírito 


Objetivo: Ensinar aos catequizandos que todo aquele que crê em Jesus deixa-se conduzir pelo Espírito Santo de Deus e à medida que demonstramos nosso amor ao próximo frutificam e se fortalecem dentro de nós virtudes que nos tornam vitoriosos de Deus.

Material: Uma laranja para cada dupla; etiquetas adesivas; espremedor de laranja (opcional); jarra e copos para suco; aparelho de som; cds com vários ritmos de musica.

Número de participantes: 20
Tempo estimado: 20 minutos
Para ler e refletir: Atos dos Apóstolos 2, 1-11
Toques criativos: Após a aplicação do jogo, fazer um suco de laranja para celebrar o encontro, brindando os setes frutos do Espírito Santo.

Desenvolvimento

-Dividir o grupo em duplas. Cada dupla deverá dançar ao som da música, com os integrantes unidos apenas por uma laranja entre as frontes.
-O desafio é não deixar a laranja cair. A dupla que deixar a laranja cair deverá em seguida cortá-la e espremê-la para produzir suco (opcional).
-Vence a brincadeira a dupla que permanecer até o final com a laranja entre as frontes.
-Refletir sobre a ação do Espírito Santo em nossa vida, fazendo-nos cada vez mais solidários para com o próximo e despertando em nós  atitudes de serviço e partilha.


3. Pula canguru


Objetivo: Despertar no catequizando o interesse pela leitura da Palavra de Deus e pela importância que ela tem na vida do cristão.

Material: Cinco folhas com trechos da Bíblia; Cinco aventais com pequeno bolso.

Desenvolvimento

Divida a equipe em grupos de 5.
Marque duas linhas no chão separadas por uma distância de 2 metros. Ao sinal de largada, 5 catequizandos com uma folha escrita com trechos da Bíblia, presa entre os joelhos, deverão deixar a linha de partida para encontrar com o seus pares na outra linha.

Ao chegarem à segunda linha, outros 5 colegas estarão esperando prontos para receber as folhas e colocá-las no bolso do avental.
A partir desse momento, o primeiro que retornar à linha de partida será o(a) vencedor(a) da brincadeira de sua equipe. Ao final, os que estavam com o avental leem os textos das folhas e refletem sobre ele.
Repete-se a brincadeira até que todos tenham participado.

Para reflexão

Cabe a nós, cristãos, levarmos a Palavra de Deus a todo aquele que precisa encontrar nela uma mensagem de ânimo, de coragem, de conforto para sua vida.
A palavra de Deus deve guiar os nossos passos e alimentar nosso coração.
Assim como a bolsa do canguru é utilizada para transportar aqueles que o amam, que o nosso coração possa transportar Aquele que se doou para nos amar demais.

4. Corre, Cristão


Objetivos: Ensinar os catequizandos a valorizar a Palavra de Deus na vida deles, fonte de sabedoria e ensinamentos cristãos. Despertar sentimentos de carinho e respeito pela Bíblia,

Material: Uma bíblia pequena
Número de participantes: 20
Tempo estimado: 20 minutos
Para ler e refletir: João 8, 12

Toques criativos: Confeccione com as crianças pequenos vasos com sementes prontas para o plantio. Decore os vasos e fixe um pequeno cartão com um versículo bíblico a ser escolhido pelos próprios catequizandos. Para facilitar, relacione alguns em um cartaz maior.
Após o preparo, cada catequizando receberá um vasinho para presentear alguém.
Outra sugestão é um pequeno vaso com uma florzinha de vela. Quem sabe alguém da comunidade possa realizar uma oficia e ensinar como fazê-lo.

Desenvolvimento

-Formar um grande círculo com os catequizandos, pedindo um(a) voluntário(a) entre eles para iniciar a brincadeira.
-O(a) voluntário receberá uma pequena Bíblia e deverá dar uma volta ao redor do círculo, cantando com o grupo o refrão abaixo:

"Corre, cristão, com a Bíblia na mão! Doa ao irmão o seu coração! Palavra de Deus caiu no chão..."
O catequizando pergunta: "Posso evangelizar?"
O grupo responde: "Pode!"
O catequizando pergunta novamente: "Quantas voltas?"
O grupo diz o número de voltas, que pode variar de 1 a 3.

O catequizando que está com a Bíblia corre em volta do círculo conforme o pedido do grupo e em seguida deixa a Bíblia atrás de um dos participantes escolhidos por ele.
Nesse momento o catequizando escolhido pega a Bíblia deixada pelo colega e sai ao encontro dele. Caso consiga alcançar o colega, este deverá abrir a Bíblia e presentar o grupo com um versículo; do contrário a brincadeira se inicia novamente com aquele que está com a Bíblia na mão, saindo para semear a palavra de Deus entre os irmãos.
No final do encontro, cada um leva seu vasinho para presentear alguém e convidá-lo a participar da comunidade.


*Minhas considerações: Eu acho melhor brincar com aqueles chaveiros de Bíblia que possui vários papelzinhos com versículos.


Deus cuida de ti.
Obrigada. 
Cris Menezes

28 setembro, 2016

Como preparar um encontro de catequese

De acordo com o livro "Encontro de catequese" (Marilac Loraine e Léo Marcelo, editora vozes) há três momentos significativos no encontro de catequese: Antes do encontro, durante o encontro e depois do encontro. Irei comentar esses  três momentos, tentando fazer um diálogo com o texto.





1° momento: Antes do encontro

O primeiro momento diz respeito ao preparo e planejamento do encontro de catequese. Não podemos improvisar.  O planejamento é parte fundamental. Catequista, encontre tempo para planejar. Quando o catequista se prepara, fica mais seguro de si, mais confiante. E a palavra de Deus deve ser falada e partilhada com confiança.

Vamos ver o que os autores escreveram sobre este primeiro momento:

"É o momento ou espaço de tempo em que o catequista cria intimidade com o conteúdo a ser desenvolvido."

Como planejar: (pág. 27)

-"Pesquisando os acontecimentos da semana e dados da vida dos catequizandos que possam contribuir no desenvolvimento do conteúdo;"
-"Entrando em contato com o texto bíblico (autor, contexto histórico...);
-"Definindo o que é prioritário e o que é secundário;"
-"Dosando e adequando o conteúdo de acordo com a idade dos catequizandos";
-"Selecionando textos, filmes, dinâmicas que auxiliem o catequizando na compreensão da mensagem";
-"Programando o tempo para desenvolver todas as ações que forem planejadas";
-"Pensando na organização do ambiente".

"Em resumo, tudo isso nos ajuda a deixar de improvisar."

Os autores falam que  catequista que se prepara 100% pode obter de 60% a 90% de resultado e ainda alertam: quem se preparou 0% pouco poderá atingir.

2° Momento: Durante o encontro


Este é o momento de desenvolver o tema que já foi planejado. Os autores ressaltam a importância da escuta do catequista. Ele (ela) deve estar em postura de escuta,  incentivar e aceitar as contribuições dos catequizandos.  O catequizando precisa participar, interagir, se expressar. Lembre-se que não é um curso, é um encontro de catequese, um encontro com Jesus. Quando planejamos o encontro pelo método ver-julgar-agir, o catequizando é convidado  a contribuir  em todos os passos do método e trazer suas histórias.

Vamos refletir?



Explicação do desenho (Pág.30)

"O Encontro é o caminho. Nele usamos todos os sentidos, porém a escuta é primordial. (...). O desenho apresenta apenas um ouvido, pois, ao contrário do ditado popular: 'O que entra num ouvido, sai pelo outro', na catequese nossa mensagem deve entrar na vida do catequizando e chegar a um lugar especial: o coração, para que, guardada, realize um efeito de ressonância em toda a sua vida, gerando um relacionamento melhor com Deus e com os irmãos."

Você, alguma vez, já tinha pensado o encontro de catequese assim? 

(E quantas vezes nós, catequistas, falamos tanto que não demos espaço para a escuta dos catequizandos?)

Para ajudar nesta escuta, use dinâmicas. Elas favorecem que os catequizandos se expressem. Por isso que, quando não planejamos o encontro, podemos comprometer este processo de escuta, porque não vamos inserir nenhuma dinâmica que favoreça isso ou vamos escolher uma dinâmica no improviso só para preencher o tempo.

E qual deve ser a postura do catequista ao escutar seus catequizandos?

"Envolver a todos, conquistando a confiança; lidar com as diferenças de opiniões; não valorizar apenas o que lhe é mais simpático; dividir o tempo, sem reduzir as manifestações do grupo; controlar suas emoções e as do grupo (impulsos, ansiedades, medos, raiva, vergonha, etc.); conduzir o grupo a uma convivência serena e fraterna; favorecer a participação." (pag. 31)

3° Momento: Depois do encontro


Para os autores, o encontro não acaba na oração final: "Cada encontro deve abrir perspectivas para a aplicação das novas descobertas na vida e para os próximos encontros."


É o momento de o encontro continuar na vida do catequizando para que ele possa vivenciar o que "aprendeu" e o que foi partilhado por meio dos gestos concretos, de compromisso, do passo "agir" que sugerimos ao final de cada encontro.

 Este é o momento também do catequista avaliar a ação catequética. 

Questionamento para ajudar o catequista a avaliar: (pag. 37)

"O que contribuiu para a formação de meus catequizandos? O que acrescentei na formação humana deles? Consegui mudar alguma atitude em sua vida? Como conduzi o encontro? Despertei a participação de todos? Falei para todos, ou para os que mais se destacaram? Consegui vivenciar a mensagem que transmiti? O que devo melhorar para o próximo encontro?" 

Tem algumas questões que não conseguiremos avaliar assim de imediato, como por exemplo, a mudança de atitude do catequizando. E em relação ao tópico "Falei para todos, ou para os que mais se destacaram", temos que tomar cuidado! Já passei por isso. Catequizandos que se destacam muito, são muito participativos, podem "ofuscar" os outros. E daí o catequista deve trazer à cena os que se intimidam e tendem a ficam mais calados. 

Espero que este texto possa contribuir para sua formação como catequista.
Deus cuida de ti.
Cris Menezes


27 setembro, 2016

Dinâmicas para falar sobre sacramentos com jovens e adultos- Crisma


1. Sugestão para  a motivação (Do livro- A Fé cristã para catequistas, Pe. Leomar Brustolin, Editora Paulinas) 

Para realizar essa dinâmica, precisaremos de flores (ou um botão de rosas), uma carta, uma impressão de um e-mail e um cartão. Convidar os catequizandos para observar esses símbolos.


Questionamentos para fazer com os catequizandos:

"-Uma flor dada num aniversário, num casamento ou num funeral é sempre uma flor, mas o que muda e qualifica este gesto?"
-"Uma carta ou e-mail pode trazer a notícia de um nascimento, uma promoção de trabalho ou o noticiário do falecimento de um parente. O que faz com eu conteúdo seja diferente, embora seja sempre um carta?"
-"Um cartão pode ser de natal ou de aniversário, mas é sempre um cartão. De que seu significado depende?"

Depois concluir assim: "Vimos então que as coisas podem ter muitos significados. São sinais visíveis de alguém e de alguma mensagem verdadeira, mas invisível. Sinais sensíveis de uma realidade invisível."

***
Conceito de sacramento retirado do livro: "Sacramentos são sinais visíveis da graça invisível  de Deus, instituída por Jesus Cristo e confiados à Igreja, pelos quais recebemos  vida divina. São sinais que manifestamos o amor que Deus tem por cada um de nós. (...) Não são apenas um recado de amor, mas um presente, um dom concreto que modifica a vida de quem o recebe."

Para finalizar, o resumo de cada sacramento: 

1° O Batismo é o nascimento da graça
2° A Crisma é o desenvolvimento da graça;
3º A  Eucaristia é o alimento para a vida
4° A Penitência é a cura das fraquezas  e quedas.
5° A Unção dos enfermos: é o restabelecimento da força;
6° A  Ordem gera o poder de servir de modo especial à graça nos eleitos ordenados;
7° O Matrimônio abençoa a decisão humana de viver no amor e na graça de cristo formando uma família.

***

2. Sugestão "para assimilar melhor o conteúdo dos sacramentos" , do livro Catequese criativa, da autora  Neusa Fernandes- Pag. 78-79.

Fazer assim: (Meus rascunhos no caderno de planejamento)


(Vou escrever aqui um resumo do que entendi desta brincadeira.)

Prepare:
-Os símbolos de cada sacramento;
2. Os nomes de todos os sacramentos e deposite numa caixinha.

Como brincar? A caixa vai passando entre os catequizandos ao som de uma música. Quando o catequista parar a música, quem estiver segurando a caixinha, retira um papel, lê o sacramento e procura os símbolos correspondentes. Pode-se comentar sobre o o que sabe daquele sacramento.

Ao final da brincadeira, falar sobre o Batismo que é o primeiro sacramento de iniciação à vida cristã, que é a porta para os outros sacramentos.


Obrigada. Deus cuida de ti.
Cris Menezes

23 setembro, 2016

Catequese em ação: Qual seu sonho de catequese?



Estava pensando que precisamos sair da sala de catequese, como o Papa Francisco já nos advertiu. 




Há pouco de um mês fui eleita coordenadora-geral da catequese na paróquia. Fiquei feliz pelos catequistas terem me confiado uma missão tão grande dessa. Senti que era um presente, um presente que eu, naquele momento, nem conseguia segurar. Mas hoje, depois do susto, tenho refletido sobre as mudanças que eu quero na catequese, que vem lá de antigamente, quando um amigo meu me perguntou: "Qual seu sonho de catequese?" Lembro que escrevi um texto poético e falei até que queria uma sala mais espaçosa, confortável e adequada para os encontros de  catequese. Hoje, eu acrescentaria a este sonho uma catequese em ação, uma catequese que consiga vencer os muros da Igreja e do comodismo  para avançar, uma catequese de iniciação à vida cristã.

Percebi que meus catequizandos adultos ficaram muito sensíveis no dia que viram um homem na porta da Igreja esperando uma cesta básica.  Depois  no encontro seguinte, eles queriam ajudar, fazer uma cesta básica. Tive a ideia então de fazer Gestos Concretos: a catequese em ação, a catequese na prática, fora da sala, para além dos limites do portão da Igreja. Conversando com os coordenadores de etapas, fiquei sabendo de muitos catequizandos passam necessidades. É uma comunidade carente e humilde. A partir dali, entendi que não podemos ficar indiferentes mais.

Depois,  conversando e conhecendo os catequistas, fui percebendo que mutos sofrem e têm problemas de saúde graves. Muitos catequistas estão doentes. Precisamos visitá-los, mostrar que não estão sozinhos. Então, a coordenadora da Primeira Eucaristia sugeriu que fôssemos visitá-los para rezar juntos. Pensei nas obras da misericórdia. Então é isso! Iremos praticar as obras de misericórdia com os catequistas e catequizandos e com a comunidade.

Irei começar os Gestos Concretos de misericórdia com a catequese de adultos, mas também precisamos voltar o olhar para nossos catequistas. Que Gestos Concretos de amor e misericórdia os catequistas da sala ao lado estão precisando? Você conhece as condições que vivem os catequistas que caminham com você? Gosto muito também das Obras de Misericórdia espirituais. E olha só, como todos nós estamos precisando desses remédios de cura para nos fortalecermos na caminhada. 


Já montei até o convite para divulgação.






Quais são as obras de misericórdia (De acordo com o site Católico Orante)

As obras de misericórdia corporais são:
1ª Dar de comer a quem tem fome;
2ª Dar de beber a quem tem sede;
3ª Vestir os nus;
4ª Dar pousada aos peregrinos;
5ª Assistir aos enfermos;
6ª Visitar os presos;
7ª Enterrar os mortos.

As obras de misericórdia espirituais são:
1ª Dar bom conselho;
2ª Ensinar os ignorantes;
3ª Corrigir os que erram;
4ª Consolar os aflitos;
5ª Perdoar as injúrias;
6ª Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo;
7ª Rogar a Deus por vivos e defuntos.

Obrigada.
Deus ama você.
Cris Menezes

22 setembro, 2016

Livro para catequese de Perseverança



Há pouco material para a catequese de perseverança aqui na Internet. Tenho a impressão que esta etapa fica um pouco relegada, esquecida ou é pouco valorizada. Quando escuto os catequistas, eles me falam que isso acontece porque a perseverança não tem nenhum sacramento. Mas a etapa de perseverança está intimamente ligada ao sacramento da Crisma. Eles vão caminhando perseverantes até completar a idade de entrar na catequese de Crisma. Precisamos nos voltar um pouco mais para esta etapa e fortalecê-la com temas diferentes da Primeira Eucaristia e que não seja também uma prévia dos temas da Crisma. A etapa de perseverança precisa de renovação. Precisamos fazer um catequese pré-crisma animada, engajada na comunidade. Quero fazer mais posts sobre esta etapa.

Neste post,  vou indicar um livro que irá ajudar no planejamento dos encontros a Perseverança: "Perseverar na fé", do autor  BRUSTOLIN, LEOMAR A.  (link para a livraria)



Gostei muito do livro porque é inspirado no estilo catecumenal (saiba mais aqui) e os encontros são planejados com a leitura orante da Bíblia. Não tem todos os passos da leitura Orante, mas já é um começo para o catequista que ainda não introduziu a leitura orante no encontro. 

O que eu achei fraco no livro foi a parte da "motivação" do encontro. Para mim, faltou trazer mais as realidades sociais, religiosas, políticas ou ideológicas - o que o catequista precisará fazer se seguir o método ver-julgar-agir. No Tema sobre vocação, a parte motivação foi boa até, mas em outros temas realmente o olhar a realidade poderia ser melhor.


Eu recomendo o livro. É uma ajuda para o catequista na hora de planejar o encontro, pois há aprofundamento dos temas. E a sugestão de  temas são muito bons. Tive dificuldade, até na livraria, de encontrar livros para a perseverança, mas irei perseverar e trazer outras sugestões de livros para vocês.

Obrigada. Deus abençoe você.



Cris Menezes


17 setembro, 2016

Diário de Catequese: Quem é Jesus?


Ambientação

O "R" ao contrário


Como eu entendo o tema?

Nós não amamos o que não conhecemos. É uma frase que escuto desde o grupo jovem. Então, precisamos conhecer Jesus para amá-lo. Mas conhecer não só intelectualmente, pela razão, mas, e principalmente, conhecer pelo coração, fazer a experiência com Jesus. Li um texto (não me recordo  autoria) que dizia assim: "Jesus é uma pessoa e uma pessoa não se estuda, se faz a experiência. "Concordo em parte. Pessoas célebres, que marcaram a  história: artistas, escritores, músicos podem sim ser estudados, é por isso que existem biografias. Não conheci Ganhi, mas que bom que por meio de uma cultura oral e escrita pude saber que ele existiu e conhecer um pouco da sua história. 

Estudar é:

O significado de Estudar no Dicionário Português. Estudar, o que é: V. t. Aprender; Reflectir sobre, analisar; Decorar algo. V. int. Ser estudante.

Sinônimos de estudar - Dicionário inFormal

www.dicionarioinformal.com.br/sinonimos/estudar/





Sinônimos de estudar: analisar, comentar, criticar, decompor, discorrer, discutir, encarar, ensaiar, escalpelar, escarnar, esmiuçar, acesse e veja mais.

Não vamos fazer uma experiência com Jesus se não sabermos quem ele é, se não o conhecermos. 
Mas não somos estudantes de Jesus, somos discípulos, seguidores, somos amigos.  Por isso que podemos até estudar  pedagogia de Jesus, suas palavras, suas parábolas, mas além de estudar, precisamos viver lado a lado com Jesus, fazer a experiência do Evangelho e do amor de Deus.  Então. poderemos saber quem Jesus é, não apenas de ouvir falar, mas a partir da experiência e da intimidade com o Salvador. O encontro com Jesus muda nossa história.

 Quem é Jesus?

Quando pensei neste encontro com minha turma de adultos, pensei que seria bom fazer este encontro fora da sala de catequese. Há várias formas de falar de Jesus: mostrando o próximo é uma delas- olhando para o irmão que sofre e ver Jesus nele. Joaquins, Marias, Sebastiões, Franciscas e tantos Zés... olhar para eles é olhar para o cristo. 

Percebo que quando perguntamos para os catequizandos de todas as idades sobre quem é Jesus, ouvimos frases do senso-comum que revela a falta de experiência e de proximidade com o Salvador. Geralmente, as pessoas repetem o que ouviram falar de Jesus.

No grupo jovem que participei quando tinha 16 anos, eu ficava ouvindo com admiração os jovens falando quem era Jesus para eles. E eu queria falar de Jesus com tanto amor, mas eu ainda não tinha feito este encontro pessoal com Ele. Ainda não tinha intimidade com Jesus. Me faltava uma caminhada. Quando Jesus chega, muda nossa história, sabe? 

Hoje, 20 anos depois do grupo jovem, eu posso falar de Jesus porque ele hoje é a minha vida, é tudo o que eu tenho, é a minha herança. Dediquei minha juventude para viver com a Igreja. Não tenho uma história grandiosa de conversão. Sou o filho que sempre esteve ao lado do pai misericordioso, nunca andei muito longe de Jesus. Minha conversão é diária. Jesus caminha comigo, cura minhas dores, é o meu sol, minha felicidade. Mas de Jesus não podemos falar muito, é preciso você mesmo conhecer Jesus para saber quem ele é.

"Quem é Jesus?" Vem conhecer. Saia do seu comodismo e do seu egoísmo para encontrá-lo.

Como tratar o tema

Na turma de adultos, traçamos a realidade econômica, social, religiosa, política da época de Jesus, para compreendermos quem é Jesus e qual a sua missão. Jesus trabalhava para sobreviver, morava no campo, era simples e humilde. Jesus inicia sua vida pública ao ser batizado por João Batista e olha para um povo sofrido que vivia oprimido e doente. Jesus anuncia o Reino de Deus, cura as pessoas cegas- e de suas cegueiras sociais e religiosas. Jesus valoriza  a mulher que vivia sem direitos na sociedade, exalta as crianças- que eram desprezadas. Chama um cobrador de impostos para ser discípulo, come com os pecadores. Jesus é o messias prometido, que veio salvar o povo sofrido. Foi por cada de de nós que ele morreu: para nos dar a salvação.


Textos de apoio:

Quem é Jesus?
Situação política, econômica e religiosa na época de Jeus


Obrigada.
Deus cuida de ti.
Cris Menezes

09 setembro, 2016

Miniaturas da Bíblia: Lembrancinhas para os encontros de catequese

Pesquisei na Internet e fiz dois modelos de lembrancinha para o mês da Bíblia:


1. Reutilizando caixa de fósforo. Capa da Bíblia em EVA.

]



2. Material:  EVA/ papel branco para fazer as folhas da Bíblia.

Utilize cola quente!




Fecho da Bíblia foi feito com EVA. Colar  uma tira na parte da frente e de trás com cola quente.



Marador da página e folhas.


Você pode fazer a leitura orante da Bíbliacom eles e pedir para que anotem nesta lembrancinha o versículo que mais gostou.Obrigada.
Deus ama você.
Cris Menezes

06 setembro, 2016

Regras de ouro para o bom êxito de um encontro catequético

Compartilhando... (Retirado do site Catequisar)


a) Divida bem o tempo do encontro, de modo que a metade seja ocupada pelos catequizandos, incentivando sua participação e entrosamento nos temas abordados. 
b) Evite atrasos. Saiba chegar com antecedência para os encontros. Assim você terá oportunidade para preparar o ambiente e acolher cada catequizando que chega.
c) Inicie sempre os encontros com uma oração. Pode-se invocar o Espírito Santo, fazer uma oração espontânea. Faça uma pequena recordação da vida, para colocar na oração intenções, nomes de pessoas ou fatos ocorridos na semana e que merecem nossa atenção. 
d) Procure primeiro OUVIR. Retenha seu saber para despertar nos outros o prazer pela busca, pela partilha e pela construção de novas idéias.
e) Valorize as colaborações dos catequizandos, mesmo que suas idéias não estejam muito claras. Saiba dar o devido valor à partilha e ao trabalho do grupo.
 f) Tente inspirar confiança, respeito e alegria através da sua presença. Não tente inibir o catequizando com o seu olhar e outras posturas. 
g) Valorize a diversidade e os dons de cada um. Você não é poeta? Algum catequizando talvez o seja. Você não canta? Algum talvez cante. 
h) Quando for necessário dialogar, não queira que a sua idéia ou sua cabeça prevaleça. Aponte caminhos, mas nunca feche assuntos e questões.
 i) O catequista também ensina, em nome da Igreja, por isso, apresenta a verdade de fé, não segundo suas intuições, mas de acordo com o que a Igreja prega e ensina.
 j) Ao escolher uma criatividade ou dinâmica para os encontros procure variar, levando em conta os cincos sentidos: ouvir (audição); ver (visão); degustar (paladar); cheirar (olfato); trabalhar as mãos (tato). É bom variar pra não cansar explorando somente um sentido! 
k) Saiba criar dinâmicas de acordo com as idades dos catequizandos: desenhos, gestos, cantos, gincanas, jogral, encenação, trabalhos em grupos, gravuras, recortes de jornal, slides, fantoches, histórias em quadrinhos, audiovisuais, filmes, poemas, cartazes, pintura, etc... 
l) Saiba colocar um toque de humor em cada encontro. O encontro de catequese não pode ser uma reunião séria, como se fosse uma reunião de executivos. Tem que haver descontração, deve saber equilibrar, oferecendo possibilidades de desenvolver o lúdico. 
m) Se os catequizandos falam alto demais, fale mais baixo. Você adquire o silêncio, sem ter que perder a paciência, ou pior sem ter que berrar achando que vai apaziguar a situação. 
n) Não humilhe, não despreze e nem deixe ninguém de lado. Saiba controlar aqueles que facilmente participam para não intimidar mais ainda os que ficam muito quietos e sem iniciativa. 
o) Cada um é um. Por isso, evite fazer comparações entre os catequizandos. 
p) Quando dar alguma atividade em grupo, procure perceber se está havendo a participação de todos, ou se tem algum que não se envolve. Procure ter essa sensibilidade para não deixar essa situação atrapalhar a participação e a aprendizagem de todos.
 q) Saiba ser presença junto a cada catequizando, ao longo do encontro. Mantenha uma comunicação com cada um é a melhor forma de obter disciplina. Você poderá se comunicar efusivamente com o olhar, um gesto, um sorriso e uma palavra, sem soar como se estivesse vigiando ou desconfiando da capacidade do catequizando.
 r) Apresente os objetivos do encontro de forma atraente e desejável. Nunca falar claramente, deixe sempre um enigma a desvendar no final. 
s) Terminar o encontro com uma oração e sempre que puder ajudar o grupo a assumir um propósito para ser realizado naquela semana e que esteja em sintonia com o tema que foi refletido.
 t) Além dos encontros aproveitar para celebrar a vida e a fé, as alegrias e as dores, os desafios e os anseios da caminhada. Recorrer ao ofício Divino, à celebração da Palavra, terço, e outras manifestações de fé.  

Fonte

Obrigada. Deus cuida de você.
Catequizando Feliz

03 setembro, 2016

Diário de catequese: Os mandamentos

Como eu entendo o tema: 
Os mandamentos nos ensinam a caminhar, orientam nosso caminho, são a luz que ilumina nossa vida. O povo que caminhava no deserto precisava de orientações para continuar caminhando. O povo liberto do Egito estava aprendendo a caminhar. Pense como conviver é difícil. Sempre foi. Surgem conflitos, brigas, divisões, inveja, ciúmes, traições, fofocas. Eu fico imaginando que todas essas coisas começaram a fazer parte do dia-a-dia do povo em êxodo. Então Deus deu aquele povo leis para se viver em harmonia e em paz com Deus e entre eles. O povo liberto das mãos de Faraó não sabia o que fazer com a liberdade que tinha conquistado. Uma catequista comentou que eles estavam livres mas não sabiam viver livres e construíam seus próprios chicotes. (Isso também acontece com a gente hoje? Quais são as nossas prisões? ) Os dez mandamentos funcionam como sinais de trânsito no nosso caminho. Mais é mais que isso. Muitas vezes os 10 mandamentos é a própria estrada que percorremos.
Não caminhamos sem rumo, sem direção, não somos mais um barco à deriva depois de encontramos com Jesus. "Nosso rumo é certo". Nossa estrada tem muitas curvas sinuosas, curvas perigosas, retas sem fim, trechos escuros, por vezes pensaremos que estamos sós. Mas não estamos. 
A maior forma de entender os mandamentos é pensar que podemos substitui-los por apenas dois e teremos dito tudo: "Amar a Deus sobre todas as coisas" e "Amar o próximo como Jesus nos amou". A medida do amor é generosa, é um amor sem limites.
Nada neste êxodo é fácil. Somos fracos, frágeis, reclamamos, sofremos por causa da nossa teimosia de fazermos tudo do nosso jeito sem ouvir o que Deus quer de nós, nos irritamos com o outro, somos imperfeitos. O povo em êxodo somos nós.  Também precisamos de orientações que nos ensinem que caminho seguir, como caminhar. 

Ambientação:
Desenhar uma estrada.
Colocar a Bíblia aberta na ponta desta estrada.
Frases sobre a aliança de Deus com os homens ou frases sobre o amor de Deus.
Coloquei um globo do mundo para lembrar que o mundo oferece muitos caminhos.
E desenhei algumas placas de sinalização e joguei na estrada. Achei interessante as ´placas: curvas sinuosas, pare, perigo e siga em frente.





Iluminação:  Estamos no mês da Bíblia. Aproveitei o evangelho do dia para refletir sobre o que acontece quando seguimos a lei pela lei. A proteção à vida está acima de leis que desrespeitam à vida. Falar dos milagres, curas e outras ações de Jesus no sábado nos lembram que não podemos ser legalistas quando a vida está em risco. O amor é que nos orienta.

Evangelho (Lc 6,1-5)
Leitura do encontro: Ex  20, 1-17

Deus ama você.
Cris Menezes
Catequizando Feliz Blog