Categorias

Abraão (4) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (2) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (10) Artesanato criativo (5) As maravilhas de Deus (1) Atividades (8) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (8) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (2) Campanha da Fraternidade 2017 (2) Cantinho da Oração (1) Catavento (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequista não é tio (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (5) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (60) Dinâmicas de Oração (6) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (4) Eucaristia (10) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinha da Páscoa (6) Lembrancinha para as mães (4) Lembrancinhas (5) Mandamentos (2) Maquete (1) Matrimônio (1) Meio Ambiente (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (13) Parábola do semeador (2) Páscoa (6) Pecado (2) Pentecostes (1) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (4) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (3) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (1)

29 julho, 2011

Dinâmica para catequese: Boliche Catequético- Derrubando o pecado


A catequista Jane confeccionou este boliche com garrafas de refrigerante para dinamizarmos  o encontro de catequese sobre o pecado.

Como brincar: forme dois grupos. Ganha o grupo que derrubar mais garrafas com as etiquetas azuis.





Vamos ver o que o catecismo (Youcat) diz sobre o pecado?

O que é pecado?
O cerne do pecado é a rejeição de Deus e a recusa de aceitar o Seu amor. Isto revela-se no desdém pelos Seus Mandamentos. [385-390]
Pecado é mais do que um comportamento errôneo; é também uma fraqueza física. Na sua natureza mais profunda, essa rejeição ou destruição de algo bom é a recusa do Bem por excelência, isto é, a recusa de Deus. O pecado, a sua mais profunda e terrível dimensão,  é a separação da fonte da vida, daí que a morte seja também a consequência  do pecado.

Como nos retira Deus da sucção do mal?
Deus não fica a assistir à forma sucessiva como o ser humano se destrói a si mesmo e ao seu ambiente, através da reação em cadeia do pecado. Ele envia-nos Jesus Cristo, o Salvador e Redentor, que nos arranca do poder do pecado. [410-412,420-421]
"Ninguém me pode ajudar." -esta frase da experiência  humana deixou de ser verdade. Deus Pai enviou o Seu filho onde o ser humano, com o seu pecado, acabava. A consequência do pecado é a morte (cf. Rm 6,23). Mas a consequência do pecado é também a maravilhosa solidariedade de Deus, que nos envia Jesus como amigo e salvador.

Obrigada. Deus ama você.
Cris Menezes
Catequizando Feliz-Blog

Post atualizado em 22/06/2016

22 julho, 2011

acordar vestido para o milagre


"O amor não aceita amadores. 
Quando se ama, acorda-se vestido para o milagre. 
Soltos pelo riso, nunca amarrados pelo grito."

Fabrício Carpinejar



Foto: weheartit

20 julho, 2011

Ser cristão é...




..."Porque ser cristão é isto: é ser Jesus de novo." (Padre Fábio de Melo)
Onde se lê cristão, leia-se catequista.




18 julho, 2011

Sacramento da comunhão




Senhor, quando te vejo no sacramento da comunhão, Sinto o céu se abrir e uma luz a me atingir, esfriando minha cabeça e esquentando meu coração! Senhor, graças e louvores sejam dados a todo momento. Quero te louvar na dor, na alegria e no sofrimento. E se em meio à tribulação, eu me esquecer de Ti, iIlumina minhas trevas com Tua luz. Jesus, fonte de misericórdia que jorra do templo Jesus, o Filho da Rainha Jesus, rosto divino do homem Jesus, rosto humano de Deus. Chego muitas vezes em Tua casa, meu Senhor Triste, abatido, precisando de amor.  Mas depois da comunhão Tua casa é meu coração. Então sinto o céu dentro de mim. Não comungo porque mereço, isso eu sei, oh meu Senhor Comungo pois preciso de ti Quando faltei à missa, eu fugia de mim e de Ti Mas agora eu voltei, por favor aceita-me.

Formação para o catequista: Viver a Eucaristia

Fonte: Crescer em comunhão- Livro do catequista. Vol. 3

"Existem muitas pessoas que sofrem no mundo, porém nem toda dor é sem razão. Existem alguns sofrimentos que geram a vida. Pensemos em uma mãe que sofre no parto para ter um bebê, depois passa a noite toda cuidando de seu filhinho doente, no cansaço de tantos trabalhadores que sustentam a sua família com o suor do seu rosto, na morte daqueles que doaram a vida pelo que acreditaram: Dom Oscar Romero, Ir. Dorothy Stein, Ir. Lindalva de Oliveira. Jesus fez exatamente isso. Ofereceu a sua vida para fazer o bem a todos. Sua morte não foi em vão, pois morreu doando a vida. De sua morte brotou a força da ressurreição. Isso é Páscoa: morrer para viver! A morte transforma-se em vida! Não nos esqueçamos que a Eucaristia é o memorial da Páscoa do Senhor. O termo memorial nos traz à mente as palavras memória e recordação. Contudo. o termo memorial não significa uma mera lembrança do passado, mas sim fazer novamente hoje o que Deus fez no passado; não é repetir, mas celebrar. Em cada Celebração Eucarística, a dinâmica da Páscoa (morte-vida) do Senhor se repete. Nós, como Igreja, também participamos desta dinâmica pascal. O mistério pascal deve ser vivido por todos que aproximam da Mesa da Comunhão. Não podemos comungar o Cristo e não vivermos como Ele viveu. Participar da Eucaristia significa oferecer a vida para que brote a vida. Oferecer nosso tempo, nossa caridade, nossos esforços, nossos sacrifícios para que no mundo o Reino de Deus aconteça, para que exista menos dor e mais felicidade. Assim, poderemos rezar com a Oração Eucarística III: "Fazei de nós uma perfeita oferenda". Assim podermos rezar: "Minha missa é minha vida e minha vida é uma missa prolongada!" (DA 191).Portanto, 'A Eucaristia é o lugar privilegiado do encontro do discípulo com Jesus Cristo. Com este sacramento, Jesus nos atrai para si e nos faz entrar em seu dinamismo em relação a Deus e ao próximo. Há um estreito vínculo entre as três dimensões da Vocação Cristã:crer, celebrar e viver o mistério de Jesus Cristo, de tal modo que a existência cristã adquira verdadeiramente uma forma eucarística. [...] A Eucaristia, fonte inesgotável da vocação cristã, é, ao mesmo tempo, fonte inextinguível do impulso missionário. Ali o Espírito Santo fortalece a identidade do discípulo e desperta nele a decidida vontade de anunciar com audácia aos demais o que tem escutado e vivido' (Cf, DA 251).

"Os catequistas precisam estar atentos para algumas interpretações errôneas da Eucaristia: às vezes, fala-se muito da cruz de Jesus, da Sexta-feira Santa e pouco da Páscoa. Ter vida eucarística significa participar da vida do Cristo ressuscitado presente no altar. A missa não é a tristeza da cruz, mas a alegria da ressurreição. Outro risco é pensar que a Eucaristia é somente presença real no pão consagrado, ou seja, pensar na hóstia como algo mágico, esquecendo-se do mistério todo e do modo como assumimos este mistério na nossa vida. O sinal visível- o pão e o vinho consagrados- nos levam para um mistério mais profundo: viver como Jesus viveu e fazer com que sua vida se prolongue na nossa própria vida. Eucaristia é mais do que adorar a hóstia consagrada, é mais do que receber o pão consagrado: tratar-se de viver em conformidade com o Cristo. Comungar e adorar a Eucaristia são ao mesmo tempo sinais e meios de uma vida eucarística."


Uma oração a Maria


"Eu escolho-te hoje, ó Maria, em presença de todos os anjos, como minha mãe e minha rainha. Ofereço-te o meu corpo, a minha alma e o meu espírito. Ofereço-te tudo o que fiz de bem ontem, hoje e amanhã. Ofereço-me a ti para que me conduzas, agora e sempre no amor de Deus."


Autor: São Luiz Maria G. de Montfort

15 julho, 2011

Pão Novo

"Era um fim de tarde de sábado. Eu estava molhando o jardim da minha casa, quando vi um menino parado junto ao portão. Olhando, me perguntou:
-Dona, tem pão velho?
Essa coisa de pedir pão velho sempre me incomodou...Olhei para aquele menino tão triste e perguntei:
-Onde você mora?
Ele logo me respondeu:
-Depois do zoológico.
Então comentei: -Bem longe, hein?
Com a voz triste, disse-me: -É...mas eu tenho que pedir as coisas para comer. Fiquei interessada pela vida do menino e perguntei-lhe: Você está na escola?
-Não. Minha mãe não pode comprar material- ele respondeu, esperando continuar com o diálogo.
-Seu pai mora com vocês?
-Não, ele sumiu.
E o papo prosseguiu, até que eu disse:
-Vou buscar o pão. Serve pão novo?
-Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente.

Essa resposta caiu em mim como um raio. Tive a sensação de ter absorvido toda a solidão e a falta de amor daquela criança. Tão nova e já sem sonhos, sem brinquedos, sem comida, sem escola e tão necessitada de um papo, de uma conversa amiga.
Quantas lições podemos tirar desta resposta: "Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente!"
Que poder mágico tem o gesto de falar e ouvir com amor! Os anos se passaram e continuam pedindo 'pão velho' na minha casa... e eu dando 'pão novo', mas procurando antes compartilhar o pão das pequenas conversas, o pão dos gestos que acolhem e promovem.
Este pão de amor não fica velho, porque é fabricado no coração de quem acredita naquele que disse: 'Eu sou o pão da vida!"

(Autor desconhecido)

Fonte: Revista Ecoando. Ano IX. Nº 33

14 julho, 2011

Somos catequistas porque...

Somos catequistas porque descobrimos a alegria de acreditar e de viver no seguimento do Evangelho. E isto para nós significa:
     – escutar Jesus através do Evangelho;
     – procurar ver todas as pessoas e acontecimentos tal como Ele as veria hoje;
     – com a sua ajuda, ir transformando a nossa pessoa de modo a vivermos ao seu estilo, ao seu jeito.

[...]
Estamos sempre em situação de mudança, a fim de sermos cada dia um pouco mais pessoas que esperam, amam e acreditam como Jesus. O nosso esforço consiste em evitar que a nossa fé e a nossa vida andem por caminhos distintos.(…)


Autor: Luis Otero e Joan Brulles
Fonte: A paixão de ser catequista

12 julho, 2011

Padroeira da Primeira Comunhão


Nós temos uma padroeira da Primeira Comunhão. O nome dela é Beata Imelda Lambertini. Ela era criança e já tinha um profundo amor pela eucaristia, mas por causa da idade, não podia receber Jesus na hóstia santa. No dia 12 de maio de 1333, sendo-lhe negada mais uma vez a Eucaristia,  "Quando ela rezava e chorava ainda, eis que uma hóstia saiu milagrosamente do vaso sagrado, elevou-se no ar e atravessou a capela. Sem que nenhuma mão a segurasse, foi parar por cima da cabeça de Imelda, que continuava ajoelhada e adorava respeitosamente o seu Deus."  Neste dia, Imelda recebeu a Eucaristia, mas tamanha foi sua felicidade, que sua alma correu ao encontro de Deus."A sua primeira Comunhão tinha terminado no céu."


Descobri esta história através do blog Amiga de Jesus. Leia toda a história  aqui
Trechos em azul são citações do blog citado acima.

10 julho, 2011

Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos



"É preciso que eu fique hoje na sua casa." Lc 19, 5)

As visitas às famílias (ou a outros ambientes onde se encontrarm os catequizandos) devem ser frequentes, pois a realidade muda constantemente. Sejam feitas no mínimo duas visitas a cada semestre.
O catequista organize uma lista de controle de visitas, de tal modo que possa assinalar a frequência das visitas e as principais observações. Seria muito interessante começar pelos mais estranhos e afastados da vida da comunidade.
Uma preparação do grupo de catequistas precisa ser feita antes das visitas. Planejar como fazer, o que fazer, como abordar as famílias é indispensável. Tudo isso à luz de muita oração.
Quando dois catequistas assumem uma turma de catequizandos, é importante que os dois façam as visitas juntos. Assim, um apoia e anima o outro.
Ao chegar à casa do catequizando, o catequista se apresente e fale claramente de sua alegria de conhecer aquela família.
As visitas não podem ser forçadas. Se a família não está disposta para receber o catequista ou mesmo não quer a visita, não se deve insistir. Deus providenciará uma ocasião melhor!
O visitador não deve levar nenhum papel ou caneta para fazer anotações na frente das pessoas visitadas. Não é censo  ou levantamento do IBGE. Isso cria barreiras e resistências. Alguma observação importante seja anotada posteriormente.
É importante ouvir atentamente as pessoas, sem a preocupação de resolver seus problemas ou aconselhar. Isso até poderia acontecer, depois se necessário e possível. O momento da visita é para contato, conhecimento, criar laços de amizade e confiança. 
É possível diante da pluralidade religiosa, que o catequista encontre, por ocasião das visitas, pessoas que não são católicas. Esteja preparado para lidar com as diferenças e respeitá-las!
As visitas não sejam prolongadas demais e nem em horários inconvenientes.
Vale lembrar, ainda, que cada pessoa e cada lar é um "santuário", por isso, merece respeito e discrição. Nada deverá ser comentado depois, a não ser algum problema que mereça ser encaminhado com a ajuda de terceiros.
O catequista sempre se lembre que vai em nome de Jesus! Não há motivos, portanto para medos ou inseguranças. É certo que o Espírito Santo vai sempre na frente, preparando os caminhos!

Texto partilhado em um encontro com catequistas sobre a importância de visitar às famílias dos catequizandos.

Fonte: Revista Ecoando

A primeira que comungou



A primeira que comungou foi a Virgem Maria 
A primeira que recebeu Jesus no coração 
A primeira que anunciou foi a Virgem Maria 
E gerou na fé o profeta que de Izabel nasceu 

Foi por ela que aconteceu a primeira adoração 
E quando os magos a encontraram 
Houve a primeira grande exposição 
Mãe capela do santíssimo sacrário do amor 

Expõe para nós teu filho 
Expõe para nós teu filho 
Mãe capela do santíssimo morada do senhor 
Expõe para nós teu filho 
Expõe para nós teu filho 
Primeiro ostensório do senhor

08 julho, 2011

Cartinha de Catequizando...


...deixada no Correio de Maria. Eu sorri muito quando vi. O catequizando desenhou meu cabelo enrolado!!  Acho que ninguém me retratou tão bem! ha :) 

 Conheça o Correio de Maria aqui.

07 julho, 2011

Caixa para Dinâmicas e revisão

Vi a sugestão no blog da Imaculada (Veja  aqui ). Inspirada então no tutorial, confeccionei uma caixa para mim. Ficou bem legal. Eu gostei. Usei para sortear o amigo-anjo e para fazer a revisão.




Revisão dos Encontros:
Numerei um papel cartão e coloquei dentro da caixa que ia passando entre os catequizandos. Cada um retirava um número. De 1 a 10, tinha perguntas sobre os encontros. Levei pirulito para entregar a cada resposta certa.

Amigo -anjo (Ou Anjo da guarda- Peguei a sugestão do site catequisar, mas achei mais interessante trocar o nome)
O amigo anjo fiz com a turma de segundo ano. Cada catequizando escreveu seu nome no papel e depositou na caixinha. Depois, cada um tirou  um nome.  Cada catequizando tinha que escrever uma mensagem para seu amigo-anjo. Colocamos as cartinhas no correio de Maria ( veja aqui)  e entregamos no final do encontro. Na oração final, cada um revelou seu anjo-amigo. 

Mudança- Casa nova de novo!

Oi, catequistas Unidos!!

Eu mudei novamente o modelo do meu blog.  Na verdade, troquei com o modelo do meu blog de poesia (veja aqui ) . Percebi que este  modelo combina mais com a catequese:  tem a casinha que lembra a igreja onde nos reunimos para os encontros. A casa parece que ficou mais espaçosa e acolhedora.  Tenham um ótimo dia. abçs

05 julho, 2011

Formação para o catequista: Frutos da Comunhão (Eucaristia)

Ajuda para o catequista


 O Senhor Jesus nos convida à comunhão com Ele: "Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes do seu sangue não tereis a vida em vós" (Jo 6, 53). Diante deste convite do Senhor, só podemos responder como aquele centurião que queria a cura do seu empregado, como fazemos em todas as missas: "Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo" (Rito da Missa, inspirado em Mt 8, 8). Pelo Sacramento da Eucaristia recebemos os frutos da comunhão que são:
1. O aumento da nossa união com Cristo- Como o alimento normal fortalece o corpo, o Pão Eucarístico nos dá uma graça invisível. Somos alimentados no espírito para vivermos como Jesus, renovando a graça que recebemos no batismo.
2. Viver separados/longe do pecado- A Eucaristia fortalece a vivência do amor, nos dá forças para lutarmos contra o mal e apaga os pecados veniais.
3. Participar da Igreja- A Eucaristia faz a Igreja. Somos chamados pelo batismo a sermos um só corpo. A Eucaristia nos dá esta graça da unidade (Cf CIC 1391-1401).
4. Estar em estado de graça- A Igreja nos pede que estejamos em estado de graça, que não tenhamos pecado gravemente. Por isso, a Igreja destaca a importância de participarmos do Sacramento da Reconciliação. No entanto é preciso compreender que o objetivo do Sacramento da Reconciliação não é para receber a Comunhão, mas sim a reconciliação com Deus, a acolhida do dom da misericórdia de Deus.

Para receber a Comunhão é preciso observar o que a Igreja nos pede:
Jejum de uma hora antes da comunhão- Lembrando que água e remédios não quebram o jejum.
Preparar o coração com piedade- É necessário estar envolvido pelo momento de Comunhão, silenciando para acolher o Cristo que vem fazer morada em nós.

Algo Mais: A Igreja nos orienta a : Participar da divina liturgia aos domingos, e nos dias festivos e receber a Eucaristia pelo menos uma vez ao ano, se possível no tempo pascal, preparados pelo sacramento da reconciliação. Mas recomenda vivamente aos fiéis que recebam a Santa Eucaristia nos domingos e dias festivos, ou ainda com maior frequência, e até todos os dias" (CIC 1389)

Fonte: Crescer em Comunhão- Livro do Catequista- Vol.3

Anjos de Resgate - Majestosa Eucaristia

"Em tua presença eu me sinto,
um mendigo sentado à mesa de um rei
e sem ter como pagar tamanha refeição,
só posso dar-te eterna gratidão.
O cálice e a hóstia eram um,
meu desejo também era com eles ser um.
"Ser um só coração, meu senhor!
O mesmo sangue nas veias, senhor!
E estando unido a ti, esquecer-me de mim,
concedei que eu fique eternamente assim."
Anjos de Resgate
http://www.youtube.com/watch?v=u3VK9dEu6aY

Oração para iniciar a catequese

Bom dia, Jesus! Eu gosto muito de Ti e de ser filho de Deus. E com todos os cristãos começo o meu dia com o sinal da cruz: Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.
Jesus, obrigado por este novo dia! Ajuda-me a recordar que, aconteça o que acontecer, Tu estás sempre pertinho de mim, para me protejer. Você é como o ar que respiramos: não se vê, mas está sempre presente e sem ele não podemos viver. Jesus, peço-te que ao longo deste dia cuide do meu pai, da minha mãe, dos meus irmãos, dos meus amigos e professores e de todas as outras pessoas. Cuida também de mim e ajuda-me nos meus estudos e nas minhas tarefas em casa. Jesus fica sempre comigo! Ensina-me a respeitar todas as pessoas, pois somos todos irmãos- e a perdoar se alguém me ofender. Quero lembra-me sempre da oração que você nos ensinaste para podermos conversar com nosso Pai do Céu, por isto vou rezar: Pai Nosso...


Fonte: http://primeiracomunhao.org (Com adaptações)

04 julho, 2011

Maria Desatadora de Nós


Oração a "Nossa Senhora Desatadora dos Nós"

Virgem Maria, Mãe do belo amor,
Mãe que jamais deixa de vir
em socorro a um filho aflito,
Mãe cujas mãos não param nunca
de servir seus amados filhos,
pois são movidas pelo amor divino
e a imensa misericórdia
que existem em teu coração,
volta o teu olhar compassivo sobre mim
e vê o emaranhado de nós
que há em minha vida.
Tu bem conheces o meu desespero,
a minha dor e o quanto estou amarrado
por causa destes nós.
Maria, Mãe que Deus
encarregou de desatar os nós
da vida dos seus filhos,
confio hoje a fita da minha vida em tuas mãos.
Ninguém, nem mesmo o maligno
poderá tirá-la do teu precioso amparo.
Em tuas mãos não há nó
que não poderá ser desfeito.
Mãe poderosa, por tua graça
e teu poder intercessor
junto a Teu Filho e Meu Libertador, Jesus,
recebe hoje em tuas mãos este nó.........
Peço-te que o desates para a glória de Deus,
e por todo o sempre.
Vós sois a minha esperança.
Ó Senhora minha,
sois a minha única consolação dada por Deus,
a fortaleza das minhas débeis forças,
a riqueza das minhas misérias, a liberdade,
com Cristo, das minhas cadeias.
Ouve minha súplica.
Guarda-me, guia-me,
protege-me, ó seguro refúgio!
Maria, Desatadora dos Nós, roga por mim.

Dinâmica para catequese infantil: Lobos e Ovelhas



Peguei esta sugestão de brincadeira no site catequisar. Fiz com minha turma e foi muito divertido.


Todos são  ovelhas (Catequista também  pode brincar) e um só é o lobo. Separar um canto da sala e indicar para as crianças que ali naquele espaço será uma área segura onde as ovelhas correrão quando o lobo quiser pegá-las. Formamos um círculo ao redor do lobo e em ciranda cantamos: " Vamos passear na floresta enquanto seu lobo não vem. Tá pronto seu lobo?" E aí ele responde: "Não. Estou vestindo."
Então, voltamos a cantar a musiquinha. E a cada pergunta, o lobo  responde que está se arrumando, escovando os dentes, penteando o cabelo, etc. Vai da criatividade de cada criança. De repente, ele vai responder: "Estou pronto e lá vou eu. " Todas as ovelhas devem rapidamente correr para a área segura. O lobo tentará pegar uma ovelha, que será então o novo lobo.

02 julho, 2011

Eucaristia

Encerramos o semestre com a partilha do pão e refrigerante de uva, recordando assim da Última Ceia em que Jesus instituiu a Eucaristia.
As frases que usei nos cartazes: Jesus é o pão vivo que desceu do céu; Jesus é o pão que alimenta os famintos; Jesus é vida. Jesus é luz para o caminho.


Fotos: Cris Menezes



01 julho, 2011

Para começar o dia...

"Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. As belezas que se mostram sem fazer suspense. As afeições compartilhadas sem esforço. As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes..[...] A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade. [...]

"Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. [...] Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante."

Ana Jácomo- Leia todo em Cheiro de Flor quando ri